10 DICAS PARA SEU FILHO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

Shutterstock 705370435

Confira um pequeno guia para ajudar as crianças a terem hábitos saudáveis

Não é novidade que alguns pais precisam daquela força quando o assunto é a alimentação dos filhos. Se já não bastasse amor, carinho e educação, a nutrição também é um ponto fundamental no desenvolvimento da criança. A Deli Delícia, sensibilizada com aqueles pais um pouco perdidos e visando o Dia das Crianças, reuniu 10 dicas simples e montou um guia de alimentação infantil para te auxiliar na missão.

Antes, porém, aquele puxãozinho de orelha básico: é importante que as pessoas se alimentem bem desde cedo porque as chances de se levar hábitos saudáveis para o resto da vida são maiores. Ou seja, esta fase pode ser um momento crucial para as crianças, determinando, por exemplo, se elas terão um colesterol ruim, tendência a obesidade e, até mesmo, se serão propensos a desenvolver diabetes. Portanto, vamos às dicas de alimentação saudável. Foco na lista agora:

1 – Os pais controlam os alimentos

Seria o melhor dos mundos se uma criança, toda vez que entrasse na cozinha, pegasse uma maçã sem pensar duas vezes. Porém, se ao lado sempre estiver aquele bolo de cenoura suculento com calda de chocolate, sinto lhe dizer que a fruta não terá muitas chances. O que queremos recomendar é: os pais controlam as linhas de abastecimento. Você decide quais alimentos comprar e quando servi-los. Claro que algo menos nutritivo cai bem às vezes, até paras as crianças não se sentiram privadas.

2 – Crianças também escolhem

Se você seguir nossa primeira dica, saiba que esta tem tudo para dar certo. É importante que as crianças (dependendo da idade) tenham opiniões sobre o assunto. Ao programar horários regulares para refeições e lanches, deixe as escolherem o que comer e quanto elas querem. Pense que elas escolherão apenas os alimentos que estiverem à disposição.

É importante não confundir essa liberdade com deixar seus filhos correrem para cozinha ligar o forno. O objetivo não é esse.

3 – Brincando com a comida

Atenção, leitores Deli Delícia. Não estamos incentivando ninguém a fazer isso de maneira desrespeitosa – inclusive, aproveitamos para lembrar a célebre frase dos nossos pais “brincar com a comida é pecado”. O que propomos é algo lúdico, criativo, sem desperdícios e que incentive o apetite das crianças. A imagem abaixo fala por si só:

Qual criança resistiria a um prato desses, cheio de delícias saudáveis?

4 – Pra que raspar o prato?

Aquela falsa máxima de que tem que raspar o prato para evitar desperdícios não cola mais. Não force a criança. Dá para equilibrar a quantidade certa para que não sobre comida.

Pegando uma carona nessa dica, se a criança não está com fome, tudo bem, que ela fique sem comer. Mas não substitua uma refeição por outra coisa, como um lanche. Isso prejudica o ciclo alimentar.

5 – Insira os grupos de alimentos aos poucos

As preferências alimentares são desenvolvidas no início da vida, por isso procure variar a alimentação de seus filhos. Para facilitar, comece oferecendo algumas mordidas dos alimentos “menos gostosos”. Quando for comer fora, por exemplo, ofereça um pouco da comida ou peça algum aperitivo.

Você ainda será surpreendido com a vontade de seu filho de experimentar coisas mais “exóticas”.

6 – Nada de negociar

Se seu filho estiver fazendo doce na hora de comer, saiba que ele quer apenas chamar sua atenção. Então, nada de passar a mão na cabeça oferecendo bens materiais em troca. Essa atitude resolverá o problema daquela refeição. Mas e as outras? Será sempre oferecido um brinquedo na tentativa de fazê-lo comer? Melhor não.

7 – Hora de comer, é hora de comer

Isto é, nada de celulares, jogos, computador, televisão ligada (nem no jornal) ou brincadeiras. Pode parecer banal, mas essas distrações fazem com que o cérebro não trabalhe direito e a absorção dos alimentos pode ser prejudicada.

8 – A criança reflete o que você come

Não adianta, você é o modelo a ser seguido, não importa em qual aspecto. E na alimentação não é diferente. Ao tentar ensinar hábitos saudáveis para as crianças, tente estabelecer o melhor exemplo possível. Escolha lanches nutritivos para a família, coma na mesa e não perca as refeições. Fácil, não?

9 – Lanches orgânico e integral

Como colocamos, não proíba seus filhos de comer aquele doce de vez em quando. Apenas regule para evitar excessos. Uma boa opção é não optar por biscoitos recheados que possuem muito açúcar e gordura saturada e inserir biscoitos e bolos integrais. Lanches saudáveis para as crianças fazem a diferença. Alguns podem ser igualmente deliciosos e não prejudicam a saúde.

Uma boa opção para essa primavera verão do Rio de Janeiro, é o sorbet, uma espécie de sorvete sem leite ou creme de leite, tendo como base água e frutas. Isto é, muito mais saudável e gostoso. Neste mês das crianças, aproveite que estão em promoção nas lojas Deli Delícia.

10 – Respeitando a pirâmide alimentar infantil

Agora que você tem várias dicas de como proceder em relação aos hábitos alimentares saudáveis, chegou a hora de saber o que inserir nas refeições. E vamos por partes:

Repare na pirâmide alimentar. Nela consta tudo o que seu filho precisa (assim como qualquer adulto): gorduras, açúcar, laticínios, carnes, hortaliças, leguminosas, frutas e carboidratos.

Por razões óbvias, esses alimentos não devem ser consumidos na mesma proporção. Portanto, como podemos equilibrar esses grupos alimentares e proporcionar pratos deliciosos e saudáveis para as crianças?

O Departamento de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria criou uma tabela de referência para uma dieta infantil balanceada conforme a idade das crianças e suas necessidades. Adiantamos que as dicas são imprescindíveis:

Quanto a encontrar esses grupos alimentares da pirâmide na qualidade que merecem, saiba que você pode contar com a ajuda das lojas Deli Delícia. Inclusive, é sempre bom ficar de olho, pois, às quintas-feiras e sextas-feiras chegam sempre alimentos orgânicos fresquinhos (#ficaadica).

Para concluir, é sempre bom lembrar que estamos falando de um assunto delicado. Por isso, não temos a mínima intenção de apontar o que deve ser ingerido pelas crianças ou sugerir dietas. Nosso objetivo é apenas dar algumas orientações básicas para cuidar melhor da alimentação dos filhos. Na dúvida, recorra a uma nutricionista para te auxiliar de perto – esta é a nossa melhor dica hoje. E prepare-se para uma boa mesa cheia de delícias, bate papo e diversão para o Dia das Crianças!